Polícia Civil cumpre mandado de prisão de homicida e encontra drogas no Anjo da Guarda

A Polícia Civil do Maranhão, por meio da Seccional Sul, em operação realizada nesta quarta-feira, 07, por volta das 15:00 horas, cumpriu mandado de prisão por sentença condenatória de Daniele Gomes Falcão, pelo crime de homicídio qualificado por motivo fútil e recurso que dificultou a defesa da vítima”, a acusada juntamente com Jaqueline de Fátima Rabelo Aroucha Neves, já falecida, assassinaram a vítima Claudia Maritysa Seixa Magalhães, no dia 18 de janeiro de 2010, por volta 21:00 horas, na sua própria residência, localizada nas imediações da praça da misericórdia, centro desta capital, ao desferir-lhe uma disparo com arma de fogo, do tipo revólver, lesionando o pulmão e aorta torácica, conforme atesta o laudo cadavérico.

Os investigadores da Seccional tiveram informações de que Daniele estaria na residência situada na rua Zâmbia, número 11, Fumacê, Anjo da Guarda. Chegando na residência da sentenciada foi efetuada sua prisão.

Os investigadores já tinham conhecimento que o local era ponto de tráfico de drogas e que Daniele era esposa de Paulo Vinícius Costa Gomes, vulgo PAPITO. Um dos responsáveis por comandar o tráfico de drogas no bairro, mesmo estando preso no complexo de Pedrinhas.

Após uma minuciosa revista no local, foi encontrado 134 papelotes de uma substância com características de maconha, 04 porções grandes de uma substância semelhante a cocaína, 02 balanças de precisão e um pedaço de rolo insulfilme para o condicionamento da droga.

Daniele confessou ser a proprietária da droga, mas não soube identificar de quem havia comprado.

Daniele Gomes Falcão foi sentenciada a uma pena de 17 (dezessete) anos e 06 (seis) meses de reclusão, a ser cumprida no regime inicial fechado, conforme acórdão prolatado pelo Tribunal de Justiça/MA, em sede de apelação, que manteve os termos da sentença condenatória.

Além do cumprimento do mandado de prisão, Daniele foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico de drogas, realizado no 16.º DP – Vila Embratel. Após as formalidades legais, a sentenciada foi entregue no presídio feminino em pedrinhas, onde ficará a disposição da Justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: