Marinha atesta discrepâncias documentais e na estrutura do ferry José Humberto

A Marinha Brasileira, através da Capitania dos Portos do Maranhão, emitiu nota, divulgada no início desta tarde, na qual confirmou que, na última segunda-feira, durante vistoria ao ferry-boat José Humberto, constatou discrepâncias na documentação e nas condições estruturais da embarcação.

O ferry foi trazido do Pará pelo atual Governo para fazer a travessia entre São Luís e a Baixada Maranhense – e vice-versa.

Anunciado como novo e de alto padrão, apesar de possuir 35 anos de fabricação e de só ter navegado em rios, está ancorado na baía de São Marcos desde o mês passado, onde já passou por outros reparos.

“A Marinha do Brasil (MB) informa que foi realizada, na manhã de ontem (20), uma vistoria no Ferryboat “José Humberto” para verificar suas condições perante a Autoridade Marítima. Na ocasião, foram constatadas algumas discrepâncias na documentação e nas condições estruturais”, diz a nota informando que, somente após serem sanadas estas discrepâncias, uma nova vistoria será realizada pela Capitania dos Portos do Maranhão.

“Cabe destacar que o transporte de ferry boat é uma importante via de integração da ilha de São Luís com a Baixada Maranhense, portanto a ação visa garantir a segurança da navegação e a salvaguarda da vida humana no mar”, finaliza a nota.

Vale destacar que o deputado estadual Wellington do Curso (PSC), em conversa com o Jornalista Glaucio Ericeira, afirmou que detectou uma fissura no casco da embarcação, situação que será avaliada por peritos navais contratados para emitir um novo laudo acerca da liberação, ou não, do ferry para fazer o transporte de passageiros e veículos na baía de São Marcos.

 

Também participaram da inspeção, além do parlamentar, representantes do Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal e Governo do Estado.

Por Glaucio Ericeira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: