Notícias

Inmeq fiscaliza balanças usadas na venda de pescado na Semana Santa em feiras e mercados de São Luís/MA

Durante a Semana Santa a venda de pescados aumenta nas feiras e mercados. Para garantir que o consumidor pague o preço justo pelo produto que vai colocar em sua mesa, o Inmeq está realizando a Operação Feira Livre para fiscalizar as balanças de precisão nos principais pontos de venda. Nesta quarta-feira (27), foram fiscalizados os mercados do Portinho e o Central, em São Luís.

A fiscalização está sendo realizada pelo Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial do Maranhão (Inmeq). O foco da operação é evitar que o consumidor seja prejudicado na hora da compra do pescado.

O diretor técnico do Inmeq, Zois Gantzias, explica o procedimento realizado durante a fiscalização. “Durante a fiscalização as equipes do Inmeq verificam se as balanças marcam o peso correto dos produtos, se possuem inscrição obrigatória e lacre do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Este é um trabalho que já é realizado regularmente, mas que é intensificado na Semana Santa”, disse.

Zois Gantzias ressalta ainda a importância da fiscalização. “Este trabalho tem benefícios tanto para o comerciante quanto para o consumidor. Para quem vende a concorrência é justa, porque, se a banca do lado vende um produto abaixo do peso, ele vai ter muito mais lucro, lesando o consumidor. E o consumidor tem a certeza que vai estar pagando o preço correto e levando para casa exatamente a quantidade que comprou”, informou.

Sabendo dos prejuízos que podem ter caso trabalhem de forma irregular, os vendedores procuram estar com seus equipamentos sempre regulares. É o caso de Carlos Augusto Pinto, que há 26 anos trabalha com a venda de peixe na região do Portinho e Mercado do Peixe.

“Eu procuro trabalhar corretamente pensando no meu cliente, porque, se eu for trabalhar com uma balança irregular, eu vou lesar meu cliente e o cara que lesa o cliente dele não prospera. Então, esse trabalho realizado pelo Inmeq é muito importante porque o consumidor pode confiar na nossa credibilidade”, garantiu Carlos Augusto Pinto.

Vendedor de camarão fresco no Mercado Central, Antônio de Souza Pires também fica atento para que sua balança esteja sempre dentro da lei. “A gente sabe que tem muita gente por aí que quer bancar de esperto, mas o consumidor acaba percebendo e procura comprar na mão de quem seja confiável. Então, além de vender um produto de qualidade, eu procuro fazer tudo certinho. Por isso, tenho uma clientela fiel aqui”, contou.

O consumidor, que é a parte mais interessada nesse trabalho, procura ficar atento na hora da compra, mas fica mais aliviado sabendo que as balanças foram fiscalizadas. “Eu costumo comprar sempre com o mesmo vendedor porque já conheço o trabalho e também fico atenta na hora da pesagem, mas ver a fiscalização sendo feita deixa a gente mais tranquila”, afirmou a dona de casa Conceição Gomes.

A auxiliar de serviços gerais Maria do Rosário Araújo também fica mais tranquila com o trabalho do Inmeq. “Essa fiscalização é maravilhosa, pois garante que a gente compre nosso peixe no peso ideal. A gente fica mais confiante”, comentou.

Durante a fiscalização os vendedores cuja balança apresente algum tipo de irregularidade são notificados, orientados para que regularizem a situação e correm o risco de multas, dependendo da gravidade da irregularidade verificada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *