Prefeito Eduardo Braide acompanha início da vacinação das crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 em São Luís

A pequena Maria Alice Silva, de 5 anos, foi a primeira ludovicense vacinada contra a Covid-19 neste sábado (15), data em que a Prefeitura de São Luís iniciou a aplicação das 5.100 doses pediátricas recebidas do Ministério da Saúde. Nesta etapa, podem procurar um dos postos de imunização da capital maranhense crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiência física e neurodiversos. O prefeito Eduardo Braide acompanhou a aplicação das primeiras doses no Centro Municipal de Vacinação do Multicenter Sebrae, e também no Drive-thru do Shopping da Ilha.

“A vacina para as crianças é um presente em prol da vida. Ver a felicidade da Maria Alice de apenas 5 anos, que faz tratamento para câncer, e de sua mãe Emille, enche o coração de todos nós de esperança. Desde que a vacina chegou para os adultos, ela passou a ser um sonho de que um dia pudesse chegar, também, para as nossas crianças. Por isso, hoje, é um dia de vitória e de comemoração”, destacou o prefeito Eduardo Braide, que estava acompanhado dos secretários municipais de Saúde, Joel Nunes, e de Comunicação, Igor Almeida.

Além da mãe da pequena Maria Alice, a dona de casa Marisol da Silva, avó do David Ferreira, de 11 anos, também se emocionou ao ver o neto se vacinando contra a Covid-19.

De acordo com ela, a pandemia trouxe aflição para toda a família, principalmente por causa da condição de saúde do menino, que possui Transtorno do Espectro Autista (TEA), uma das comorbidades listadas como prioridade para a vacinação nesta primeira etapa de aplicação das doses pediátricas do imunizante Pfizer.

“Eu estou muito feliz, muito mesmo. Na verdade, aliviada. Essa pandemia trouxe muitas incertezas e isso deixou a todos muito aflitos. Em casa, todos se vacinaram, menos o meu neto porque ainda não tinha sido aprovada a vacina para criança. Mas a gente estava na expectativa e, graças a Deus e ao prefeito Eduardo Braide, esse momento chegou. Hoje, sou só alegria e gratidão. Muita gratidão mesmo”, disse a avó do David, a segunda criança do dia vacinada contra a Covid-19.

A felicidade pela vacina contra a Covid-19 também foi celebrada pela família da pequena Karla Vitória da Silva, de 10 anos, que tem comorbidade e esteve entre as primeiras crianças ludovicenses vacinadas neste sábado.

“Hoje é um dia de felicidade e em dose tripla. Trouxemos nossa filha para vacinar e também aproveitamos para tomar a nossa dose de reforço. Estamos muito felizes por estarmos imunizados contra o coronavírus”, disse a dona de casa Gislene dos Santos, acompanhada do marido Benedito dos Santos.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Joel Nunes, a vacinação de crianças de 5 a 11 anos é um reforço a mais para que a pandemia de Covid-19 possa ser vencida. Ainda segundo ele, ficou provado que o benefício da dose pediátrica é maior que qualquer efeito colateral e, por isso, os pais devem levar os filhos aos postos para tomar a primeira dose.

“As vacinas são eficazes, elas estão salvando vidas. Com o público adulto vacinado e o vírus ainda circulando, as crianças desprotegidas se tornam alvo da Covid. Por isso, é importante que os pais confiem na ciência e levem seus filhos a um de nossos postos para vacinar, pois, só assim eles estarão seguros”, destacou.

A vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos acontece, a partir deste 15 de janeiro, de segunda a sábado, das 8h às 18h, no CMV Sebrae, localizado no Cohafuma; no CMV UFMA, no Bacanga; no CMV IFMA, no Maracanã – Zona Rural; e nos Drives-thru do Shopping da Ilha, no Maranhão Novo; e na Universidade Ceuma, no bairro Renascença. Em cada um desses postos, a Prefeitura de São Luís montou um espaço lúdico, e as crianças são recepcionadas por personagens infantis e ainda levam um certificado por ter recebido a primeira dose ao fim da vacinação.

O esquema vacinal para crianças tem o intervalo de oito semanas entre a primeira e a segunda dose. O imunizante tem dosagem e composição diferentes da que é utilizada na dose para os maiores de 12 anos.

A vacina para crianças será aplicada em duas doses de 0,2 ml (equivalente a 10 microgramas). A tampa do frasco da vacina é na cor laranja, para facilitar a identificação pelas equipes de vacinação e também pelos pais, mães e cuidadores que levarão as crianças para serem vacinadas.

Em São Luís, para desburocratizar o processo de imunização das crianças que fazem parte do grupo, é exigido como comprovação da condição de saúde, além da certidão de nascimento ou RG, laudo médico, receita médica, cartão de acompanhamento ou exames que comprovem a comorbidade.

De acordo com o Ministério da Saúde, crianças com sintomas gripais ou que testaram positivo para Covid, só poderão se vacinar após quatro semanas.

Comorbidades e deficiências listadas como prioridades:

– Insuficiência cardíaca;

– Cor pulmonale;

– Hipertensão pulmonar;

– Cardiopatia hipertensiva;

– Valvopatias;

– Miocardiopatias e pericardiopatias;

– Doença da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas;

– Arritmias cardíacas;

– Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados;

– Talassemia;

– Síndrome de Down;

– Diabetes Mellitus;

– Pneumopatias crônicas graves;

– Hipertensão arterial;

– Doença cerebrovascular;

– Doença renal crônica;

– Imunossuprimidos (incluindo pacientes oncológicos)

– Anemia falciforme;

– Obesidade mórbida;

– Cirrose hepática;

– HIV;

– Deficiência física;

– Neurodiversos (TDAH, TEA e deficiência Intelectual).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: