Notícias

O GOVERNADOR APOSTOU NA ESTRATÉGIA DO HORROR

Por Dr Érico Cantanhede

Muito se questiona do porquê do crescente aumento no número de casos e óbitos em decorrência do vírus chinês aqui no Maranhão em detrimento de outros estados da federação inclusive se colocando a culpa na própria população por desconhecimento ou mesmo teimosia e daí se propuseram ao famoso “lockdown ” num momento fatídico e sem necessidade pois o vírus há algum tempo passou de comunitário a domiciliar, ou seja, está dentro das próprias casas contaminando a família e abrindo assim as portas para disseminação pelos interiores no chamado “pré – lockdown “

Estados da federação, como nosso vizinho Piauí, obtiveram números bem abaixo do esperado principalmente de óbitos quando comparados ao Maranhão, cujos gestores estão preocupados com esse aumento dos caso aqui, que pode repercutir desfavoravelmente na sua rede, uma vez que adotaram medidas mais simples e baratas como o tratamento da fase inicial dos sintomas baseados em protocolos clínicos farmacológicos uma vez que não há vacinas, com excelentes resultados, com distribuição para a população mais carente, com pouco poder aquisitivo, e sem acesso a esses medicamentos que tiveram o preço absurdamente aumentados ou “sumiram ” das prateleiras inclusive das farmácias de manipulação.

Á classe mais abastada, ou seja, de maior poder aquisitivo pode comprar e até já fez seu estoque de medicamentos que dependendo até do viés ideológico pode ser utilizado no tratamento dessa pandemia, inclusive que é refletida nos protocolos de tratamento dos hospitais particulares e quanto a população mais carente que é o duro retrato do nosso estado o que vai fazer? Morrer em casa ? Morrer a espera de uma vaga na UTI numa UPA ou num leito ? Morrer gaspiando com falta de ar? Esperar adquirir uma forma leve que seu organismo possa debelar? Ou simplesmente fincar os joelhos no chão e rezar para Deus ter misericórdia dele e de seus familiares a espera de um milagre?

Custo de forma até cristã a crer que o viés ideológico se sobreponha a vida nesse momento em que tantos conterrâneos maranhenses padecem a cada dia com essa estatística desfavorável só aumenta, pois quem estuda a história da humanidade em relação a regimes socialistas e comunistas entende a que estou me referindo.

Em síntese: ainda dá tempo de se reverem as estratégias e protocolos até agora utilizadas na tentativa visivelmente infrutífera de barrar os casos crescentes de óbitos do vírus chinês aqui no nosso estado, pois está faltando coragem, bom senso e liderança nesse momento para que a morte não vença essa luta que deve ser acima de tudo pela vida e não simplesmente por ideologias fatídicas ao fracasso como as ações aqui tomadas até o momento.

Fraternalmente.

Por Dr Érico Cantanhede

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *