“Medidas pífias”, diz promotor sobre ações do governo contra CoVID-19…

É dura a denúncia do promotor de Proteção à Pessoa, Idosa, Augusto Cutrim, contra o governo Flávio Dino (PCdoB), apontado como incompetente na condução do combate à pandemia de coronavírus.

– Medidas que, ao final das contas, não se concretizaram, ou, na sua maioria, foram pífias em seu alcance quando comparadas à realidade, diante das inúmeras denúncias de falta de estrutura da saúde pública no Maranhão afirmou Cutrim.

Na denúncia encaminhada ao titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos, Douglas de Melo Martins – o mesmo que determinou o lockdown na Grande São Luís – o promotor diz que falta transparência nas ações do governo.

– [o governo precisa ser obrigado] a demonstrar e comprovar, com total transparência, […] as medidas efetivamente adotadas e valores financeiros recebidos e despendidos de repasses da União, emendas parlamentares e doações privadas, gastos no enfrentamento da pandemia ocasionada pela propagação do coronavírus – diz o documento.

Não é a primeira vez que o Ministério Público cobra ações mais efetivas do governo Flávio Dino, apontando incompetência do sistema de saúde no  combate à pandemia.

No dia 2 de abril, a Promotora da Saúde, Glória Mafra, acionou o governo entendendo ter havido erro nos procedimentos após a morte da primeira vítima de coVID-19 no estado.

– É possível presumir que, após a realização da autópsia do paciente, ocorreu a contaminação da ambiência física do Serviço de Verificação de Óbito (SVO) desta cidade, o que inclui os instrumentos de trabalho, equipamento, os servidores que realizaram o procedimento de autópsia, além de todos outros dos setores administrativo, serviços gerais, visitantes, etc., posto que ficaram literalmente expostos ao referido vírus – afirmou, à época, a promotora. (Entenda o caso aqui)

Há duas semanas, em discurso na sessão virtual da Assembleia Legislativa, o deputado César Pires (PV) também apontou incompetência do governo maranhense no combate ao coronavírus.

Segundo ele, há fragilidade técnica na equipe de Flávio Dino destacada para o combate.

– Ao contrário do que vemos em outros estados, onde as decisões têm a orientação de infectologistas e outros especialistas, aqui no Maranhão sentimos a ausência de virologistas, infectologistas e demais profissionais da área junto ao secretário de Saúde Carlos Lula – opinou Pires. (Leia a íntegra aqui)

blog Marco Aurélio D’Eça também apontou fragilidade e insegurança na atuação do governo maranhense frente ao coronavírus.

Em 1º de maio, mostrou a insegurança do próprio governador na tomada de decisões mais radicais, no post “Efetivo na pandemia, Flávio Dino mostra-se inseguro ao tomar decisões…”

Um dia depois, mostrou-se a fragilidade técnica da equipe do comunista e a incapacidade de seus auxiliares de apontar caminhos, no post: “Falta um Mandetta na equipe de Flávio Dino…”

Diante de todas as evidências, que culimaram com a decisão da Justiça sobre o lockdown – assumindo o papel que deveria ser do governador – o Ministério Público decidiu cobrar do mesmo juiz um posicionamento contra o governo.

É aguardar e conferir a decisão de Douglas de Melo Martins…

Por Marco Aurélio D’Eça

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: