Flávio Dino paga R$ 236 milhões para instituição de Goiás administrar Hospital de Câncer (antigo Hospital Geral)

Faltando menos de três meses para deixar o cargo para concorrer à eleição ao Senado Federal, o governador Flávio Dino (PSB) tomou uma das medidas mais impactantes da área de saúde estadual dos seus dois mandatos. Por nada menos do que R$ 236.074.312,32 (duzentos e trinta e seis milhões, setenta e quatro mil, trezentos e doze mil reais e trinta e dois centavos), ele terceirizou a gestão do Hospital de Câncer Tarquínio Lopes Filho, antigo Hospital Geral, no bairro Madre Deus, que dentro de duas semanas passará a ser administrado por uma instituição sediada no estado de Goiás.

O extrato do contrato, assinado em 30 de dezembro de 2021, foi publicado no Diário Oficial do Estado no dia 6 deste mês. A instituição contratada é a Associação Brasileira de Entidades de Assistência Social (ABEAS), que tem escritório central localizado em Goiânia. A organização ficará encarregada, por um período de dois anos, a partir de 1° de fevereiro de 2022, da operacionalização das ações e serviços de saúde prestados à população pelo hospital.

A contratação se deu por meio de licitação, na modalidade chamamento público. Pelo governo maranhense, assinou o secretário de Estado da Saúde, Carlos Eduardo Lula e pela ABEAS o signatário foi o superintendente, Gilmar Bandeira.

Espera-se que a terceirização milionária resulte em verdadeiro choque de gestão no Hospital de Câncer, eliminando erros médicos (veja aqui) e outras anormalidades.

Abaixo, o extrato do contrato:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: