“Flávio Dino não tem legitimidade para falar sobre retaliação”, afirma Maura Jorge

A superintendente da Funasa no Maranhão, Maura Jorge, em um post em seu Intagram neste sábado, teceu críticas ao governador Flávio Dino. Ela disse que Flávio Dino busca projeção às custas de mentiras e distorção de falas do presidente e que ele não tem legitimidade para falar sobre retaliação, já que ele a perseguia, quando era prefeita de Lago da Pedra.

Pra além da ilegitimidade de Flávio Dino de falar sobre retaliação, uma vez que eu mesma fui vítima da sua perseguição política e tantos outros políticos estão sendo, o governador não sabe diferenciar Gestão e pessoa. Em momento algum, o presidente Bolsonaro cogitou ignorar o Maranhão, mas unicamente a pessoa de Flávio Dino. Sempre sarcástico e debochado em suas críticas ao presidente.
“Não tem que ter nada com esse cara”, essa foi a fala do Presidente e demonstra pura e simplesmente a recomendação de Bolsonaro para o governo ignorar Flávio Dino enquanto crítico e provocador da administração, cujo único intento é se promover às custas da imagem do presidente.
O Maranhão segue como uma das prioridades do governo Bolsonaro. Os órgãos federais já se estruturam para fazer uma verdadeira revolução nesse estado, ainda que Flávio Dino não queira.
As mentiras e dissimulações comunistas, já conhecidas no nosso estado, não impedirão o Brasil de crescer, muito menos o Maranhão de reescrever sua história. ” 
Afirmou Maura 

 

A postagem de Maura Jorge, bastante comentada nas redes sociais, é referente à declaração do presidente Jair Bolsonaro sobre os governadores do Nordeste. Em áudio captado por microfones durante um café da manhã com jornalistas estrangeiros, o atual chefe de Estado assim se referiu ao governador do Maranhão: “Daqueles governadores de… ‘paraíba’, o pior é o do Maranhão. Não tem que ter nada com esse cara”, declarou o presidente.

A alegação provocou reação de Flávio Dino (PCdoB):

Pelo Twitter, Flávio Dino escreveu que, “independentemente de suas opiniões pessoais, o presidente da República não pode determinar perseguição contra um ente da Federação”. “Seja o Maranhão ou a Paraíba ou qualquer outro Estado. ‘Não tem que ter nada para esse cara’ é uma orientação administrativa gravemente ilegal”, argumentou o governador.

Ex-juiz federal, Dino afirmou que por conhecer a Constituição e as leis brasileiras, continuará a “dialogar respeitosamente com as autoridades do governo federal e a colaborar administrativamente no que for possível”. E fez referência ao artigo 37 da Carta Magna, que estabelece princípios da administração pública para dizer que respeita os princípios da legalidade e impessoalidade.

Por Carlinhos Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: