Notícias

“INCOMPETENTE OU BANDIDO”? Deputado Yglésio denuncia alimentação dos milhões no “padrão Braide” que foi servida em hospital de São Luís

Na sessão da Assembleia Legislativa desta terça-feira(22), o deputado Yglésio Moyses, não economizou criticas a atual gestão de São Luís, em um tom de denuncia, Moyses utilizou uma imagem a qual compartilhou durante seu pronunciamento e que segundo ele, seria a alimentação que foi servida no hospital da criança do município de São Luís.

O deputado Yglésio Moyses, também questionou a qualidade das obras que estão sendo inauguradas pelo prefeito Eduardo Braide.

Antes de encerrar o contundente discurso, o médico e deputado Yglésio, questionou o prefeito da capital, que constantemente, tem desfrutado da companhia de um vereador de São Luís, que responde na justiça por supostos crimes de estupro e assédio sexual e enfrenta na Câmara um processo pelas mesmas acusações.

Veja.

Bom dia a todos, senhoras e senhores. Suba a Tribuna começando hoje com essa imagem bem aqui. Coloca, por favor, na tela. Esse foi o prato de comida que foi servido ontem no Hospital da Criança para mães e funcionários que estão no hospital.

Nós vemos aí claramente quatro colheres de arroz, uma colher em meia de farinha, e uma torta que dá três pedaços aí. Soja, segundo relatos que não foram apenas dois, três, foram cerca de dez relatos, completamente insípida.

Ou seja, alimentação inadequada fora dos padrões e obviamente indigna para quem está no hospital, trabalhando ou acompanhando seu filho. Soja, deputado Rafael Brito, essa licitação foi conduzida de maneira emergencial na semana passada ao custo de 18 milhões de reais para fornecimento de comida para as unidades hospitalares de São Luís.

Foi inclusive aí depois que apareceu que o Sorriso que era assessor do Eduardo Bride, quando foi deputado, ganhou a licitação, o Eduardo Bride fez o que sempre faz, não assume o problema, não conversa com a imprensa, não dá satisfação absolutamente ninguém e apenas demite a equipe toda para se limpar, como se ele cândido fosse, como se não tivesse nada a ver.

Eu fico a perguntar, nós estamos no quarto ano de uma gestão, quarto ano de uma gestão. Se eu não consigo fazer uma licitação normal e tenho que recorrer a pregões emergenciais contratos emergenciais, ou sou incompetente, ou sou bandido.

Só existem essas duas possibilidades. Ao prefeito, cabe dizer o que ele é, ou ele é incompetente, ou ele é bandido. Porque é o final da gestão, precisar de emergencial para servir torta de soja, resto de torta, para as mães que acompanham as crianças no hospital, para os funcionários que trabalham ali com salários defasados, que tem o pessoal que recebeu agora esse piso da enfermagem, mas tem os serviços prestados que estão aí ganhando seus mil reais, mil e duzentos reais por mês, trabalhando feito uns condenados para comer isso aqui, num plantão.

Um verdadeiro absurdo. E provando que a cidade é uma cidade de maquiagem, continuam sendo apresentados aí pela prefeitura, escolas que estão sendo feitas, mãos de tinta, passa uma tinta, reformou a escola, a promotoria já se manifestou no sentido contrário de que isso não configura obra por definição, não tem relevância nem impacto no ensino, na ampliação da oferta de vagas, no sofrimento das onze mil crianças fora da escola de São Luís e sem falar nas falsas promessas que jamais foram cumpridas em relação a creches, clínicas da família, melhora do atendimento, hoje as unidades básicas de saúde estão jogadas ao relento, lá apenas em caminhamento, unidades AO, AO, ao cardiologista, ao dermatologista, ao psiquiatra, ao pneumologista não resolve absolutamente nada, enquanto isso nas inaugurações ainda se cerca de pessoas como vereador Domingos Paz, um assumido estuprador de vulneráveis, assediador que troca cargo por sexo até com homens, além de não fazer nada pela cidade ainda da palco para verdadeiros imorais dentro da cidade, é lamentável o que a Prefeitura de São Luís faz.

Levanta a obra, coloca a placa, faz intervenção em trânsito, pode dizer que está trabalhando, mas o que tem que ser de fato mudado na cidade, que é a forma de acolhimento dentro dos hospitais, que a metodologia de ensinos, resultados do nosso ensino é tirar as crianças do fatalismo da falta de sala de aula com professor e ensino de qualidade, remédio que chega, que não chega na ponta, que vai sendo desviado no meio do caminho, que falta dipirona nas vezes, na unidade básica ou até no hospital de alta complexidade de urgência, e aí todos os dias se gabar, que está fazendo obras dizendo que mão de tinta é obra cercado por abusador, por pedófilo, não vai ficar sem o meu repúdio aqui na tribuna.

 

CADÊ A DIGNIDADE?

Em seu perfil em uma rede social, Yglésio reafirmou o que havia denunciado mais cedo da tribuna da Alema, “Não é de hoje que tenho recebido denúncias de que a alimentação servida para acompanhantes e trabalhadores nos hospitais de São Luís está como você pode ver nas imagens: pouca quantidade, seca e claramente nada nutritiva.

Antes que apareça qualquer um aqui defendendo A, B, ou C, a única coisa que eu peço é: empatia. Coloque-se no lugar das pessoas que estão sendo tratadas dessa forma que, pra mim, beira a humilhação!

Não perca seu tempo vindo defender ninguém aqui nos comentários. Vá no perfil do responsável cobrar para que as pessoas que, já sofrem com a completa falta de infraestrutura nos hospitais de São Luís, tenham direito a pelo menos uma alimentação digna!”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *