Feirinha São Luís é a mola propulsora da revitalização e ocupação do Centro Histórico

Quem é a amante de São Luís, está festejando a atual ocupação do Centro Histórico. Muito mais do que um instrumento para turistas, o local está servindo para devolver a autoestima ao maranhense, seja pela beleza do local, a expressão das atividades culturais, mas principalmente pela questão econômica e social. Afinal, a região central deixa de ser um lugar ermo e depósito de mendigos e usuários de drogas, para se tornar um local de geração de renda, além de desenvolver uma função social fundamental para uma cidade que possui bolsões de pobreza. É necessário lembrar como tudo isso foi construído nos últimos anos e a Feirinha São Luís, idealizada pelo secretário Ivaldo Rodrigues foi crucial para esse processo.

No ano de 2017, Ivaldo Rodrigues mostrou-se um verdadeiro visionário ao idealizar a ocupação de um espaço que antes poderia ser considerado um deserto. Desenvolveu na Praça Benedito Leite, a Feirinha São Luís. E mesmo com todos os críticos e projeções negativas, que aquele espaço só funcionaria para turistas e enquanto durasse o período junino, a atividade idealizada pelo titular da Semapa, passou por temporadas natalinas, chuvosas, carnavais e chegou aos seus dois anos de vida.

A instalação da Feirinha São Luís foi o primeiro passo a trazer vida novamente ao Centro Histórico, que agonizava. Restaurantes, bares e cafeterias foram abertos, o comércio que não tinha motivos para abrir aos domingos, agora fica até tarde, visto que possui movimento. A rede hoteleria vive um novo momento, os hotéis passaram a abrigar além de turistas, eventos e festas que garantem a circulação de dinheiro.

Todo esse processo que foi construído ao longo de dois anos e está culminando agora pela excelente sacada do secretário de Cultura, Diego Galdino, que decorou da forma mais bela o Centro Histórico. As bandeiras foram apenas a cereja do bolo para deixar a famosa região da Praia Grande, ocupada de segunda a segunda.

Alguns empresários que nunca acreditaram no Centro Histórico, agora estão virando seus olhos e correndo em busca de imóveis para montar empreendimentos. E aqui faz-se necessário citar também o empresário Francisco Neto, presidente do SindBares e proprietário do Flor de Vinagreira, que mostrou que é possível acreditar no Centro de São Luís e tem sido um entusiasta dessa ideia.

Parte da população da capital que sempre olhou com preconceito para o Centro Histórico, agora tem orgulho de expor essas fotos nas redes sociais e “ai daquele” que não tem sua foto em meio as bandeirinhas e casarões históricos, acaba sendo uma pessoa uma pessoa totalmente fora de moda da atual realidade de São Luís.

Parabéns a todos aqueles que foram instrumentos para trazer vida ao Centro Histórico, mas cabe uma menção especial a Ivaldo Rodrigues que desenvolveu a mola propulsora desse atual momento, a Feirinha São Luís.

Por Diego Emir

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: