Deputado Adriano denuncia a falência da FEME no Governo Flávio Dino

Usuários da Farmácia de Medicamentos Especializados (FEME) estão sofrendo com a falta de remédios promovida pelo Governo do Estado. A denúncia foi realizada na manhã desta quinta (17) pelo deputado estadual Adriano Sarney (PV). Segundo o parlamentar, centenas de pessoas têm procurado o seu gabinete para denunciar a situação.

A FEME é ligada ao Governo do Estado e é responsável pela distribuição de medicamentos para o tratamento de doenças raras que devem ser tomados, normalmente, por toda vida ou grandes períodos de tempo.

De acordo com Adriano Sarney, a FEME vem desamparando a população carente de seus serviços. “Recebi incontáveis reclamações de pacientes que necessitam de medicamentos, que tem o direito, e que não recebem os medicamentos por omissão e incompetência do governo”, disse Adriano.

Adriano afirmou que há quatro anos as pessoas que dependem da FEME reclamam da baixa qualidade e instabilidade dos serviços. Medicamentos como mesilato de imatinibe, para o câncer, e azatioprina, usado no tratamento intestinal, estão em falta. Alguns deles, segundo relato do deputado, chegam a custar R$ 300 por caixa.

O deputado ainda afirmou que os mais pobres são os mais afetados pelo fracasso na distribuição dos remédios. “São medicamentos caros, de extrema importância e de uso contínuo, problema que afeta principalmente a população mais pobre”, disse.

O deputado ainda relatou que algumas famílias estão se endividando por conta da situação. “A descontinuidade do serviço está fazendo famílias recorrerem a empréstimos, venda de bens pessoais e coisas muito piores. Esse é o resultado do descalabro na saúde do estado”, disse Adriano.

Adriano protocolou requerimento exigindo informações sobre a interrupção do fornecimento desses remédios aos pacientes e qual a previsão de retomada.

O deputado lembrou que em 2011 a FEME viveu seu apogeu. Na época a instituição ganhou prédio e novas instalações que foram bastante comemoradas pela população. “A FEME se fortaleceu em 2011 com a ex-governadora Roseana Sarney. Hoje o bom trabalho é apenas uma lembrança dos tempos em que a saúde era bem tratada no estado”, finalizou.

 

Nota – A Secretaria de Estado da Saúde (SES) esclarece que o medicamento azatioprina não está em falta e sua distribuição está regular na Farmácia de Medicamentos Especializado. Sobre o fornecimento do mesilato de imatinibe, a SES informa que é de responsabilidade exclusiva do Ministério da Saúde. Segundo o órgão federal, a previsão é de que até o final do mês o medicamento esteja disponível na FEME.

Por fim, a Secretaria comunica que o fármaco mesalazina já foi adquirido, o vencedor do processo de licitação efetuará a entrega do medicamento até o final do mês de outubro.

No programa Nova Manhã da Rádio Nova FM, um ouvinte que faz uso continuo da medicação Mesalazina indicado para doenças inflamatórias como Retocolite Ulcerativa, também denunciou a falta e o não recebimento da medicação na Farmácia de Medicamentos Especializados, FEME.

 

Informações do Blog Jorge Aragão

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

%d blogueiros gostam disto: